quinta-feira, 5 de junho de 2008

Percepção e intuição.



Os céticos que me desculpem, mas há algo estranho que não podemos definir cientificamente.
O tal sexto sentido, percepção ou intuição, ou qualquer outro nome que o valha, existe!
Por alguns anos fiz parte de uma seita que estuda e treina o desenvolvimento da percepção.
Aprende-se a abrir a percepção e receber quase que em transe visões e sensações diversas.
É assustador porque funcionamos como uma tela de cinema, onde um filme é projetado e nada podemos fazer a não ser servir de objeto.
Quando ocorrem sensações aleatórias, daquelas que estamos parados e de repente sentimos algo avassalador por acontecer, talvez sejam as das piores. Sabemos que algo irá acontecer, mas não sabemos o quê, onde e quando, mas acaba acontecendo.
Quando do tsunami na Ásia, vários animais fugiram para os pontos altos de ilhas horas antes das grandes ondas chegarem.
Elefantes que transitavam próximos às praias desesperaram-se despertando a atenção de muitos banhistas, salvando a grande maioria daqueles que atentaram que algo estranho estava por acontecer.
Cães uivam quando pressentem dor, morte, etc.
Algumas aves quando cantam, trazem a esperança, outras trazem mau agouro.
Se isso ocorre aos animais, por que não a nós?
Também somos animais!
Da mesma forma que esse sentido ou sentimento atua nos avisando que algo está errado, ou que algo está por acontecer, aqueles que têm esse canal aberto, conseguem transmitir a outras pessoas sentimentos e até mensagens (telepatia inconsciente).
Todas as pessoas têm essa faculdade, só que a grande maioria as têm fechada, hermética.
Ao longo da vida vão percebendo certas coincidências, fatos inexplicáveis até que ao passar dos anos, próximo ao retorno, as faculdades começam a desabrochar e os olhos começam a enxergar ou sentir as demais dimensões.
O russo da época da guerra fria extirpou a religião do povo, transformaram o povo no maior agrupamento de ateus da face da terra.
Curiosamente, os dirigentes do Kremlin, jamais deixaram de ter ao seu lado diversas pitonisas ou médiuns, que vislumbravam o futuro, situações presentes e consultavam os mortos.
Leonid Brezniev teve ao seu lado, desde a sua ascensão até a sua morte, uma conhecida médium russa, que o orientava através de incorporações de espíritos famosos, tais como Alexandre o Grande, Julio Cesar, dentre outros.
Há sim algo que não conseguimos definir, pois é abstrato, mas a intuição sempre alavancou muitas e muitas pessoas.
Não sei se é bom ou se é ruim, mas sou uma pessoa que por várias vezes tem a intuição aflorada.
O sexto sentido se faz presente quase sempre, todos os dias em minha vida.

A percepção e a intuição, que ultrapassam o limite do tempo ou que definem situações fazem parte da nossa vida.

As gerações próximas saberão trabalhar melhor com elas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário