quarta-feira, 4 de junho de 2008

Preguiça. Será que é pecado???


Preguiça é a inatividade de uma pessoa, aversão a qualquer tipo de trabalho ou esforço físico. Também é um tipo de procrastinação.
Um preguiçoso para a psicologia é uma pessoa sem resistência moral e psicológica para os desafios impostos pela vida. Que busca justificativas sempre externas para a sua falta de ação naqueles momentos decisivos que lhe surgem.
Ao compreender-se incapacitado - pela própria preguiça - de conseguir aquilo que deseja, pode ocorrer ao preguiçoso o sentimento de inveja, culpando os outros pela sua própria inércia, mesmo sendo ele aquele que foge das oportunidades de aprendizado apresentadas pela vida.
É justamente o ressentimento que assola o preguiçoso que dificulta o seu esclarecimento. Os apelos da família ou pessoas próximas para o seu melhoramento, principalmente se vierem na forma de cobrança, podem gerar - devido ao ressentimento - mais raiva e desejo de destruir tudo aquilo que lhe aparente querer retira-lo deste estado de inação. Segundo Joanna de Ângelis, no livro citado na bibliografia, "o paciente, nesse caso, prefere ser lamentado a receber amor".
Aquele que sofre de preguiça pode em alguns momentos recuperar a lucidez e desejar ter força para não mais sofrer deste mal. No entanto, é comum o sentimento de decepção quando se dá conta de que ainda não possui estabilidade emocional para empreender suas próprias conquistas. Nesta situação, o enfermo desanimado pode reforçar a sua crença na impossibilidade de cura, aumentando o seu ressentimento e a sua incapacidade de reerguer-se por si só.
Existem pesquisadores que indicam que a "cura" da preguiça inicia quando a própria pessoa passa a se sentir constrangida pela situação de inação em que se encontra, desejando para si uma vida mais saudável e um convívio mais harmônico com as demais pessoas. Nesta etapa é importante que o enfermo se desvencilhe da imagem de preguiçoso que criou em torno de si, convencendo-se das suas próprias capacidades e aptidões.
Olha, com tudo o que falaram sobre a possivel cura da preguiça, ainda sou adepto de se dormir quando chove, de não sair da cama no frio, de ficar em um bom sofá, etc...
Esse negócio de dar problema na vida ou no trabalho, que preguiça é doença também é meio relativo.
Nos meus momentos de preguiça eu quero mais que não acabem e que de forma alguma me perturbem.
Roberto Vaz/Wikpedia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário