segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Materializar projetos requer profissionalismo, tenacidade e muita renuncia momentânea. Era nesse espírito que as pirâmides eram construidas.

Quando eu era jovem imaginava ser um Merlin. Talvez seja a época em que o ser humano mais cria. Têm-se imaginações diversas. Justamente nessa época e nessa média de idade, que surgem as maiores criações do homem.

Em se tratando de negócios, a coisa se complica consideravelmente.


Criar e desenvolver projetos até a consecução final é coisa muito séria. Como dizem "papel aceita tudo", mas transformar idéias em meios produtivos a coisa é de derrubar Titãs.


Pois bem, ao longo dos anos não deixei de criar, mas me especializei em fazer as coisas funcionarem, a concretizar projetos na "prática" sem delongas.


Todas as vezes que me propus a participar de projetos que tínhamos que fazer a "coisa virar", as coisas realmente "viraram".


Talvez ai que more a diferença de vários negócios iniciados e mortos no meio do caminho.


Eu e uma vasta equipe nos propusemos a fazer um sonho virar a maior empresa do Brasil. Sabíamos desde o início que sacrificaríamos nossas vidas particulares, nossos sonhos momentâneos, a atenção que devemos dedicar às pessoas que amamos.


Essa atividade requer que uma série de fatores andem alinhadas para que não sucumbamos no meio do caminho.


O sacrifício é muito grande, ao ponto até de adoecermos.


Mas o ideal maior, enraizado dentro de nós, anda junto e acaba se consolidando.


Perdoe-me as pessoas que amo por não poder dedicar a vocês tudo o que vocês merecem, mas há uma torrente dentro das nossas vidas que nos propulsionam à construção de Pirâmides, e elas não podem parar de ser construídas.


Nunca deixei de amar um minuto os meus, mas a construção de Pirâmides exige uma certa renuncia. Estamos próximos de terminar nossa obra e voltar ao seio daqueles que realmente importam, e pelos quais construo Pirâmides.






Nenhum comentário:

Postar um comentário