quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Está faltando mão-de-obra no Brasil.


Quem diria, há alguns anos o desemprego pairava no País de forma brutal, hoje estamos enfrentando um novo problema: a falta de mão-de-obra.
A procura incessante de cursos de bacharelado há décadas criou um País de bacharéis enquanto a necessidade real é a de técnicos.
Como participo vez por outra de processos de admissão, tenho a maior dificuldade de buscar junto ao mercado profissionais das mais variadas profissões.
A saída doméstica tem sido o atual ponto forte, ou seja: preparamos nossos profissionais.
Cursos superficiais de algumas faculdades dão a noção básica de algumas carreiras, mas sem o aprofundamento que o mercado exige.
Desde soldadores, armadores, serralheiros, controladores, etc.... indo ao profissional de gerenciamento, a dificuldade é muito grande. Os salários estão se reestruturando e dando novos perfis às profissões. Há uma máxima herdada de nossos avós sobre o bacharel, que talvez nos idos de 1900 ainda valessem muito. Técnicos são a base da economia de vários países, principalmente na Ásia. Na Suiça, os jovens profissionais se formam técnicos com 16 anos, e aqueles que pretendem buscar o mercado acadêmico fazem graduação superior. Os salários são praticamente idênticos.
Espero que a imensidão de faculdades que temos olhem à necessidade proeminente que o País necessita. 
Caso a demanda continue alta teremos dois problemas: ou o País deixa de crescer ou importaremos mão-de-obra de outros países, o que seria uma imbecilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário