quarta-feira, 15 de setembro de 2010

A dura realidade de ser honesto e ver as nulidades triunfarem.

Qual aquele que honestamente trabalhando enriquece?
Qual aquele que sonhou um dia em exercer sua profissão, somar e crescer?
Qual aquele que um dia não teve portas fechadas que o fizeram repensar toda a sua vida?
Acho que isso é uma situação que envolve milhões ou até bilhões de pessoas.
Essa justiça terrena vai além do pseudo mérito que tentam justificar alguns "ilustres bem-sucedidos".
Até hoje na minha lida profissional conheci pessoas como eu, que luta, cria, sonha e trabalha muito.
Mas há muitos "ilustres bem-sucedidos", invariavelmente arrogantes, com aquele olhar que vem do alto do Everest para o resto da humanidade.
Ao longo do caminho conheci vários. Muitos deles despencaram do Everest para as barrancas do Tietê, por fraudes, golpes, por riquezas sem origem, etc... etc...
Como alguns valorizam tais "ilustres bem-sucedidos"!
Essa injustiça capitalista transforma lobos em cordeiros, mas raramente o contrário.
O que eu posso recomendar é que observem muito e identifiquem seus "ilustres bem-sucedidos" e retomem os cuidados devidos.
Nunca percam a esperança de trabalhar e criar muito.
O mar de escândalos que tenho sempre mostrado neste blog é fruto de uma ambição desmedida, de um descontrole de nossas leis. Realmente cadeia é para pobre. 
Devemos lutar para identificar pessoas como nós que queiram nos representar nos poderes.
Só assim poderemos colocar no devido lugar os ladrões de casaca.
Não podemos desacreditar toda uma formação que nos faz viver, mas infelizmente, teremos que extirpar as ervas daninhas que assolam o País.
Não se envergonhe de ser honesto, pois linearmente nossa vida é agregada de valores que ladrões jamais imaginarão ter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário