quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Holocausto brasileiro II - Estatística criminal do Município de São Paulo

Estatísticas de criminalidade, violência e vulnerabilidade na cidade São Paulo

Nesta seção do site são publicadas as estatísticas relevantes acerca da segurança pública e urbana no município, bem como de demais fatores que impactam sobre a vulnerabilidade no espaço urbano e sobre a sensação de segurança da população, como os sinais visíveis de desordem e descuido do espaço público.

Além dos indicadores provenientes da Coordenadoria de Análise e Planejamento da Secretaria de Segurança Pública estadual (CAP/SSP-SP) e da Coordenadoria de Análise e Planejamento da Secretaria Municipal de Segurança Urbana (CAP/SMSU), este espaço trará também informações relevantes levantadas no âmbito de outros órgãos e secretarias em nível federal, estadual e municipal, bem como por outros estudos e pesquisas provenientes de outras fontes disponíveis.

As estatísticas e indicadores sociais servem essencialmente a três grupos de interesses distintos e complementares: aos cidadãos, para avaliarem uma dimensão crucial de sua qualidade de vida; aos decisores e implementadores de políticas, para planejamento das ações, inclusive no Gabinete de Gestão Integrada de Segurança, distribuição dos recursos; e aos especialistas e pesquisadores de políticas públicas, para o desenvolvimento de estudos acerca dos fenômenos, de suas causas e dinâmicas próprias.

Com a divulgação destas informações, a Secretaria de Segurança Urbana, através da Coordenadoria de Análise e Planejamento – CAP/SMSU, procura cumprir seu papel de atuar de referência como fonte de informações sobre os problemas elencados, intensificando a sua disseminação para a construção de políticas mais capazes de atingir seus objetivos na área.
CAP/SMSU – Prefeitura de São Paulo
Indicadores de criminalidade e violência disponibilizados pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo – SSP-SP

Vemos nos gráficos a seguir a evolução da criminalidade e da violência na cidade a partir dos principais indicadores criminais, baseados nos registros feitos nas delegacias. Verifica-se em primeiro lugar a queda do número de homicídios na capital, que já atinge diminuição de 76% desde 1999. Esta mudança resultou em cerca de 25 mil vidas poupadas no período, a nos valermos dos índices que tínhamos em 1999. Naquele ano, a taxa trimestral girava em torno de 13 mortes por grupos de 100 mil habitantes, número que atualmente gira em torno de 3 – tendo sido 2,6 no último trimestre.
Apesar da desaceleração da queda verificada nos últimos trimestres, os homicídios voltaram a cair de forma significativa neste último período. Tendências positivas foram também verificadas nos índices de tentativas de homicídios e de latrocínios na capital, como vemos nos gráficos abaixo.
As lesões corporais dolosas reverteram a tendência de crescimento em meados de 2006, apresentando tendência de queda desde então. Entre os crimes patrimoniais, os roubos e furtos de veículos também apresentam forte tendência de queda desde 1999 (sobretudo os roubos, que regrediram 48%, de 151,3 (por 100 mil habitantes) no terceiro trimestre de 2000 para 78,64 no segundo trimestre de 2010).
O total de roubos (exceto veículos), após atingir o pico em meados de 2000 (em torno de 320 casos por grupo de 100 mil habitantes) teve decréscimo de 22% e estabilizou-se em torno de 250/100 mil nos últimos 5 anos.
Os furtos, por sua vez, após importante crescimento verificado até o ano de 2005 e terem decrescido significativamente até o início de 2008 (de 425 para 304 por 100 mil) tiveram oscilação desde então, variando nos últimos 12 meses de 417 para a taxa de 376 no ultimo trimestre.
Por fim os estupros, que haviam decrescido significativamente até 2007, tiveram crescimento desde então (note-se, entretanto, que o crescimento desproporcional verificado nos últimos três trimestres deveu-se à mudança na lei, que passou a considerar os casos de atentado violento ao pudor também como estupro).

 

 

 
 
 FONTE - SECRETARIA MUNICIPAL DE SEGURANÇA PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário