sexta-feira, 10 de setembro de 2010

O Holocausto brasileiro.

Assassinados em campos de concentração. Estamos chegando a isto em nossas casas.



Leiam a reportagem abaixo e depois meus comentários:


"Sete pessoas de uma mesma família, entre elas duas crianças, de 6 meses e de 4 anos, viveram momentos de terror, por volta das 19h30 desta sexta-feira, após terem a casa, localizada na Praça dos Trópicos, na região do Tucuruvi, zona norte de São Paulo, invadida por dois bandidos. 

A dupla conseguiu entrar no imóvel ao render os moradores que chegavam à residência. Os bandidos, ao mesmo tempo em que separavam dinheiro e outros objetos, ameaçavam as vítimas. Um deles apontou a arma para a cabeça da criança de 6 meses e atirou, mas a munição falhou. Um dos adultos então entrou em luta corporal com o criminoso e ambos caíram na garagem. Cinco tiros foram disparados na sequência, mas ninguém foi atingido. 

No momento em que PMs da 4ª Companhia do 5º Batalhão chegaram ao local, vítima e bandido já estavam bastante machucados e ainda lutavam. O outro assaltante, ao tentar fugir a pé, foi atropelado na rua por um dos membros da família. O criminoso atropelado foi encaminhado para o pronto-socorro do Mandaqui. O caso foi registrado no 73º Distrito Policial, do Jaçanã. "

Tenho 53 anos e sou de uma época próxima em que a sociedade tinha o direito de portar arma para a sua defesa. Havia respeito, ou melhor, o bandido tinha medo de invadir uma casa ou de abordar quem quer que fosse na rua. Haviam assaltos, mas também havia a reação. Hoje a população é esculachada, aterrorizada, seviciada por qualquer bandilixo que seja.

Criou-se a covarde fisolofia de entregar tudo, até a virgindade de filhas se assim o caso exigir.
Criou-se a forma da submissão, da perda da honra, da incolumidade humana. Como nos campos de concentração aguarda-se o dia e a hora de ser sacrificado.

Até nas cadeias há códigos que fazem justiça, mesmo que a justiça seja uma mutilação ou a morte, para bandilixos que tentam matar crianças de 6 meses.

Na rua, somos impedidos de reagir até mesmo por lei, pois se matarmos um desgraçado destes estaremos diante da lei. Me parece haver um paternalismo aos que deliberadamente procuram o caminho do consumo das drogas, do dinheiro fácil e da violência contra às pessoas comuns.

Somos cordeiros impostos, impostos por lei. Portar arma para a defesa pessoal ou da familia vai além da casa, seria um utensílio obrigatório, como óculos para quem tem miopia ou um celular.

Tudo por questão de cultura. No Texas o porte é praticamente livre e todos se respeitam, ou pelo menos se garantem.

Leis que nos lançam ao Holocausto não são leis boas. Se pelo menos nos garantissem em nossa necessidade de poder ir e vir, morar, etc... talvez esquecesse que poderia estar portando uma arma e me safando da morte.




Um comentário:

  1. OTIMO TEXTO.REALMENTE, FALTA REAÇÃO CONTRA AS PRAGAS(BANDIDOS E ESTES "SENHORES" QUE DEFENDEM AS FAMÍLIAS DE VAGABUNDOS).

    ResponderExcluir