domingo, 12 de setembro de 2010

Os mercadores da Pátria.


Enquanto nós pessoas comuns ao longo da vida sofremos todas as suas agruras, em perdas irreparáveis, em submissão por parte do Estado, em criarmos nossas familias, em disputar um lugar que possa garantir um futuro melhor aos nossos filhos, somos solapados constantemente com a temeridade de uma ditadura de meliantes instalados no poder, com a conivência das autoridades máximas.
Nunca se viu tanto oportunismo e desrespeito. Agora somos presenteados com o esquema da Casa Civil denunciado pela Revista Veja, de um tal Israel Guerra, filho da ministra chefe da Casa Civil. No poder viu a possibilidade de vender influências, através do seu filinho.
Maldita hora que quando jovem sofremos na mão dos milicos, tomando borrachadas que nos motivaram partir às ruas buscando as "Diretas Já". 
Eu estava lá!
Desde o primeiro Presidente Civil, houve direta ou indiretamente a mercantilização de benesses por aqueles que lá estiveram. 
O que será da minha velhice?
Será que imaginam ainda que somos cordeiros?
Mas como faremos? A lei não nos favorece nem para extirpar os bandidos da Pátria. Nos meandros jurídicos, ladrões se perpetuam e ficamos boquiabertos. 
Será que vão testar nossa paciência até que se ressuscite a subversão?
O que será se Dilma for eleita?
Teremos o loteamento de norte a sul dos partidários e amigos do Rei?
O Brasil se encaminha para dias negros; dias imprevisíveis.
Não podemos esperar para ver como é que fica, teremos agora uma ótima condição de extirpar parte dos meliantes do poder, vote certo.
Se isso não ocorrer alguns ex terroristas poderão conviver com o próprio remédio, pois é o que inevitavelmente poderá ocorrer se ladrões ordinários continuarem a povoar as esferas mandatárias do País.

Nenhum comentário:

Postar um comentário