sexta-feira, 22 de julho de 2011

Imagem pessoal, o que seria?

As pessoas se prendem naquilo que seria o ideal, mas se esquecem do homem, as vezes gênio, as vezessanto, mas sempre humano. 




Sabe, na verdade o fazer não tem muito a ver com imagem pessoal. Lógico, se soubermos que a imagem de um pastor fica borrada com práticas homossexuais ou de um atleta com o uso de drogas, o idílio se abala e muito, mas depende muito do caso.




Muito se fala sobre imagem pessoal, desde que nascemos.
A conotação moral sempre é agregada à imagem pessoal. Mas será que é isto mesmo?
Tanto na vida pessoal, como na profissional, conheci inúmeros ícones que no fundo tinham péssimos exemplos, ou na realidade, não condiziam com a lenda.
Vamos lá: lembram-se do episódio do Ronaldo Fenômeno com os travestis no Rio de Janeiro? Abalou todo mundo, pois a imagem daquele garotinho bom de bola, dentucinho e engraçado caia abaixo, pois o que acontecia não condizia de forma alguma com a sua imagem.
Sabe o que aconteceu? Prevaleceu o moleque sorridente, cheio de graça e que continuou agradando a todos. Ele é assim, o que todos querem ser: líder, descomprometido, inteligente e surpreendente.
Outro caso, Juscelino Kubitschek. Foi e é considerado um dos maiores homens públicos da história do Brasil. Amável, duro, futurista e extremamente boêmio. Ótimo dançarino, notívago e namorador. Essas qualidades ou vícios humanos, como queiram, não comprometeram sua imagem, pois talvez o aspecto machista, angariava adeptos por finalidade. Jamais foi lembrado pelas traições ou envolvimentos extraconjugais, mas como o mais amado estadista do Brasil.
Imagem tem a ver com feitos, com determinação. Tem a ver com a empatia e como a pessoa agrega por suas qualidades de carismático.
Hoje temos exércitos de assessores e de porta vozes blindando as imagens. Em todos os segmentos temos imagens e sombras. Homens que fazem e que têm o lado humano. Talvez extravagantes no anonimato.
Gênios e pessoas carismáticas não são diferentes de qualquer outro ser humano.
Sociologicamente o homem é visto de uma forma, imagina-se de outra e na realidade é de outra forma.
Imagem pessoal só é real quando nos agradamos, quando deixamos de ser sectários para termos uma imagem que agrade por propósito. Alguns criam a imagem de cordeiro, mas na realidade são lobos. Outros de Santos, mas tem na alma as forças do mal. A imagem por finalidade pessoal tem vida curta, pois é impossível sermos teatralmente sectários por toda a vida.
A imagem pessoal, doa a quem doer, tem que ser o que realmente somos. O que é muito ruim em nós um dia poderá ser corrigido, por necessidade, não por adequação momentânea.
O que faz o homem ser diferenciado e visto como um líder carismático, é justamente a forma de ser diferente, de ter naturalmente diferenciais que outras gostariam de ter ou treinam para ser.
O carismático é diferenciado e tem suas ações medidas passo a passo por aqueles que nasceram anônimos e morrerão anônimos.
Salieri perseguiu Mozart por quase toda a sua vida. O gênio era incompreendido por não poder ser entendido como um iluminado e ao mesmo tempo o rei da boemia de Strassburgo.
O que acontece é que alguns infortunados mortais e anônimos amam os carismáticos, mas o lado humano que agrega a inveja e a incompreensão, cria sempre uma busca incomensurável para denegrir, subestimar e aniquilar aqueles que naturalmente são melhores. Queria ser igual, como não posso então extermino. 
Cai em decepção o adorador quando percebe que o gênio, na categoria humana, defeca, urina, tem flatulências. Que as vezes gostam da noite, de dançar, de beber. Que têm sentimentos naturais e vontades humanas.
São diferentes sim tem imagem e diferenciação, pois como o Ronaldinho, têm a habilidade de superar pelo próprio espírito que têm.
Seria legal que um dia substituíssem a palavra imagem por capacitado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário