terça-feira, 6 de setembro de 2011

Esquizofrenia, o que haverá de novidades no tratamento?




  
Volto a falar da esquizofrenia, doença terrível que isola, deteriora e aniquila o paciente.


Tenho um primo esquizofrênico que há mais de 25 anos tem a doença, com acessos terríveis, pelo menos uma vez ao ano.
Vive dopado. Em crise xinga, amedronta e se transforma.
Dai pergunto: o que há de avanço no tratamento dessa doença? Estariam os doentes condenados ao exílio, morrendo dia a dia?
Tamanho excessos em medicamentos para controle da doença, transformaram a feição antes alegre do meu primo em algo sem definição. Olhos mortos, voz descontrolada e fraca. Vive em um mundo só seu, sem deixar de lado seu headfone, onde invariavelmente escuta Van Hallen, Credence Clearwather, dentre outros.
Quando se afasta do Headfone torna a casa da minha mãe, onde mora, em um palco de músicas, com som altíssimo e insuportável.
A intelectualização do esquizofrênico, pelo menos a do meu primo, é grande. Fala de muitas coisas. Mistura seu estado de delírio com ataques espirituais. Arrogante e duro, discute com todos, como se quisesse que um misericordioso pudesse matá-lo e tirá-lo deste sofrimento.
Desde o primeiro acesso ou síncope, ou sei lá como se chama o distúrbio mental forte, que ocorreu nos Estados Unidos, vem se tratando com medicações que praticamente não variaram.
Sei apenas que ele vai de mal a pior. Para quem já estudou engenharia, com certeza em algum momento conseguiu concatenar idéias e regras.
Se o distúrbio é problema com a ligação de neurônios, através de excesso ou falta da química que difere o esquizofrênico de uma pessoa normal, o que falta então para a ciência?
E no Brasil, onde podemos buscar um conforto de ponta aos doentes de esquizofrenia?
Gostaria que alguém pudesse me informar onde e como se tratam adequadamente os esquizofrênicos no Brasil.
Deve haver um centro de excelência que acompanhe pare passo as descobertas e tratamentos ideais do século XXI.
Nós temos que poder fazer algo para melhorar as vidas dessas pessoas.
Se algum amigo que saiba a respeito, gostaria que informasse aqui, pois muitos que nos lêem tem o mesmo problema.

Abraços a todos.

Um comentário:

  1. Sou portadora de esquizofrenia, e queria deixar para vc um contato com a "ABRE": http://www.abrebrasil.org.br/
    Abraços grandes

    ResponderExcluir