terça-feira, 6 de setembro de 2011

“Sou gorda e ainda sou virgem”



Por Renata Poskus Vaz 
Hoje, 6 de setembro (fazendo alusão à posição 69) é o Dia do Sexo. Segundo minha amiga Keka, essa data foi criada por uma marca de preservativos  para , por meio de brincadeiras bem-humoradas, divulgar os seus produtos. E já que é dia do sexo, porque não falarmos de adultos que ainda não se relacionaram sexualmente com alguém?
Recebo inúmeros e-mails de mulheres na faixa dos 30 anos, que estão acima do peso considerado normal pela sociedade e que ainda são virgens. Primeiramente, não acho defeito algum mulheres e homens que se guardam, seja por ideais religiosos ou por questões particulares. Mas manter-se virgem na vida adulta deve ser uma escolha gratificante e não uma falta de opção. Se o fato de ainda ser virgem trouxer algum tipo de sentimento ruim para a pessoa, como sensação de inferioridade ou até mesmo uma vontade louca de vivenciar aquilo, mas sentir um bloqueio, alguma coisa está errada nessa situação.
Veja trecho de um e-mail que uma de nossas leitoras nos enviou na semana passada:
“Tenho 27 anos e peso 132 Kg. Sou gorda desde que nasci. Cresci sofendo preconceito e, talvez por isso, até hoje nunca tenha namorado. Já fiquei com alguns rapazes, mas nunca tive um contato mais íntimo. Sou virgem. Tenho vergonha do meu corpo e medo de ninguém me querer gorda”.
Muita gente pode achar essa situação absurda, mas não é. Acontece com mais frequência do que imaginamos. Se o momento de perder a virgindade já é um tabu entre aqueles que têm amor próprio e curtem o próprio corpo, imagine como é para quem tem vegonha das próprias curvas? Como alguém que não se ama pode convencer alguém a amá-la? Como alguém que não acredita ser desejável pode se sentir desejada? Os traumas, os medos, as inseguranças não tendem a passar com o tempo. Tendem a piorar. Procurar ajuda de um profissional é sempre válido para enfrentar essas situações.
Se eu pudesse dar algumas dicas para quem deseja se relacionar com alguém pela primeira vez seriam:
  • Observe suas qualidades, suas virtudes, seus pontos fortes. Saiba admirá-los e evidenciá-los. Cuide-se. Você vai se apaixonar por si mesma e fará com que os outos também se apaixonem por você;
  • Homens não ligam para excesso de peso na hora “h”. Celulites e pneuzinho passam despercebidos. Então, não tenha vergonha das suas curvas, relaxe!
  • Não saia procurando desesperadamente por alguém para amá-la. Ahora que tiver que ser, será.
  • Não se autosabote recusando elogios e aproximações de homens que te admiram. Aceite convites para sair e jantar. Isso não significa que você seja obrigada a se relacionar seriamente com ninguém
  • Por fim, caso não conheça ninguém interessante, matricule-se na academia, saia para dançar, suas chances de conhecer alguém aumentarão, e muito.
  • Procure um profissional. Ops, não estou falando de um gogoboy. Falo de um psicólogo, que pode te ajudar a vencer seus bloqueios.
E quando os virgens beirando os 30 anos são os rapazes? Um de nossos leitores, Emanuel Júnior, explica o porquê de ainda ser virgem, mesmo aos 28 anos:
“Fui muito discriminado na minha infância e adolescência por ser gordinho. Sofria bastante bullying na escola que eu estudava, mas conseguir fazer amigos fora da escola. Aos 16 anos, conheci uma garota chamada Livia. Após me declarar e ouvir dela que por mim também estava apaixonada, a surpreendi beijando outro rapaz. Fiquei sem chão, só me lembro de ter saído correndo e chorando, como se quisesse esquecer aquela cena.  Dediquei minha atenção aos animes e ao cinema e até hoje não achei um amor de verdade.  Quero perder minha virgindade com umamulher que entenda meus sentimentos.”
Para os homens, ser virgem com essa idade é uma cobrança ainda maior. O homem, para a sociedade,  tem que ser o pegador, o cara que leva várias mulheres para a cama durante a vida. Mas há homens que simplesmente são mais sensíveis do que a maioria. E, em casos como o de Emanuel, somam-se desilusões amorosas e também o preconceito em relação ao próprio corpo. Creio que os homens devam seguir as mesmas dicas acima citadas para as mulheres. E com um parentêses: não cobrem tanto a própria performance em sua primeira vez. Seja você mesmo e curta o momento sem cobranças.
Perdoem-me os religiosos, mas para mim sexo não serve só para a procriação. Quando duas pessoas se desejam loucamente, quandos e gostam incontrolavelmente, quando seus corpos se encontram, elevam o que seria apenas um encontro de corpos a um encontro de almas. Unificam-se, amam-se, completam-se.
Feliz dia do sexo para todos vocês!

Nenhum comentário:

Postar um comentário