sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

A raiva que temos de DEUS


Não posso generalizar, mas sei que uma grande maioria da humanidade carrega dentro do seu eu uma mágoa por não serem atendidas nos seus momentos mais difíceis pelo seu eu superior, ou Deus.
É difícil separar ocorrências da vida onde somos responsáveis pelas nossas experiências, boas, ruins ou péssimas.
Quando passamos por experiências que nos marcam para o resto de nossas vidas, costumamos nos perguntar: onde estava Deus nos momentos que eu mais precisava dele? Por que ele não interveio em minha vida e deixou que tudo acontecesse? Não creio mais em Deus porque ele nunca se importou comigo!
Pois bem, temos nossos alertas naturais que podem impedir quaisquer ocorrências de risco que pudessem nos prejudicar.
Quem nunca se envolveu sentimentalmente e mesmo em meio a uma paixão avassaladora não teve um lampejo do seguinte tipo: onde irá parar isto? O que estou fazendo aqui?
Há outros casos em que estamos passando por uma pseuda situação feliz, mas alguma coisa nos diz que algo está errado. 
Bom são várias as situações que nosso eu Superior se manifesta e não a compreendemos no momento, mas ao passar vemos claramente que tais situações poderiam ser evitadas.
Há pessoas que pela vida toda odeia a Deus por isso, mas não percebem que as ocorrências marcantes da vida são experiências pessoais. 
Cobrar pelos resultados é manter um ódio contido e um ressentimento que nos atrapalha pela vida toda.
Odiamos e não esquecemos momentos favoráveis mal resolvidos e os extremos que envolvem mortes, acidentes, decepção profunda, etc.
Se assumirmos e enxergarmos a vida como uma escada de experiências, compreenderemos tudo e ai poderemos nos perdoar por tudo e enxergar os potenciais que temos dentro de nós e iniciar uma nova vida, cheia de valores e conquistas.
Isto realmente funciona e talvez faça parte do recomeço de quem queira.
Deus existe dentro de nós e sempre está ativo a nos informar por códigos que algo está errado, cabe a nós abrirmos a nossa percepção.
Por tanto, assuma os erros naturais da vida e deixe de odiar a Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário