sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Presidente da Foxconn afirma que brasileiro não trabalha tanto por estarmos em um "paraíso"

Novamente senti a necessidade de falar alguma coisa a respeito da relação entre estado e o trabalho na China.
Terry Gou, presidente da Foxconn, como crítica, pois é assim que eu entendi, reclamou que não trabalhamos e que o País, Brasil, só está cedendo espaço físico para a instalação da sua fábrica, pois não possuímos tecnologia de ponta. Prestes a aumentar a sua participação no mercado brasileiro, com uma mega planta de CKD, talvez compare a forma de como o trabalhador é forçado a produzir na China, onde o que menos vale é o ser humano, em relação aos países ocidentais, desenvolvidos e democráticos.
Pra mim, empresas com a filosofia da escravidão deveriam estar fora daqui, custasse o que custasse. Há outras formas de se gerar empregos. Estamos a beira de iniciarmos aqui no Brasil um dos maiores processos de exploração de petróleo e gás no mundo. Então que preparemos nossos jovens para imediatamente estarem disponíveis a esse segmento.
Senhor Terry Gou, para mim o senhor não passa de um escravocrata do século XXI, que pensa que o resto do mundo é composto por pessoas miseráveis e indefesas, que também engordarão o seu bolso neocapitalista.
Realmente estamos em um paraíso comparado ao inferno que os capitalistas chineses fizeram em seu País e ao povo indefeso.
Posto abaixo alguns vídeos de como se trabalha, e em quais condições, o cidadão Chinês.

Um comentário:

  1. Muitas empresas americanas direcionaram a manufatura dos seus produtos na China, alimentando a desgraça do desrespeito aos direitos humanos.
    Quando compramos qualquer produto Chinês devemos lembrar sobre esses absurdos.

    ResponderExcluir