terça-feira, 6 de março de 2012

Funk da Freguesia do Ó acaba em bombas, tiros e muita porrada

Dia 04/03/2012 por volta das 21h00 o pau quebrou no Largo da Matriz e da Matriz Velha, na Freguesia do Ó. O local, onde já foi um local tranquilo, que no passado era palco da Feira das Nações, onde nas noites de verão os antigos moradores faziam da praça uma extensão das suas casas, transformou-se em um antro de drogas, de brigas  e agora um palco do pancadão do Funk.
Chamada a polícia devido ao som estrondoso utilizado no tal pancadão funk do domingo, a galera se rebelou contra os policiais agredindo-os com garrafadas, depredação das viaturas e muito enfrentamento e xingamento.
Em poucos minutos o revide ocorreu com vários disparos de escopetas -balas de borracha-, bombas de efeito moral, gás pimenta e muita borrachada.
Ficamos com um helicóptero Águia dando rasantes até algumas horas depois do conflito.
Ninguém foi preso, pois a área comporta várias ruas por onde os manifestantes conseguiram se evadir.
O local mencionado agrega muitos tipos de frequentadores, que vão desde os próprios jovens moradores das proximidades e bairros distantes mas da própria Freguesia, que é um dos maiores bairros da cidade.
Muita bebida e droga corre nos finais de semana, gerando invariavelmente brigas severas entre frequentadores. 
As depredações de veículos já se tornaram comuns. Muitos moradores do local e da circunvizinhança de alguma forma já foram vítimas de algum tipo de violência ou ameaça.
Infelizmente é comum se ver jovens entre 13 a 18 anos cambaleantes, amparados por amigos, devido ao uso excessivo de álcool ou mesmo drogas.
É um problemaço, que compete aos órgãos de segurança, bem como à Prefeitura resolver. Quando falo polícia é para o atual momento, até que haja uma solução construtiva ao caso.
Quais são os recursos de lazer da região? Eu francamente desconheço.
Quais os processos de inteiração desses jovens com possíveis segmentos culturais ou mesmo de trabalho promovidos pela Prefeitura como gestora executiva da cidade? Nenhum!
Senhores Vereadores, o que poderiam sugerir não só para a Freguesia do Ó, mas para toda uma massa jovem desprovida de tudo que a cidade pode lhes oferecer?
Creio que a repressão ocorrida foi pontual para se resolver um extremo, mas há de se fazer alguma coisa para poder dar aos jovens um laser condigno. Senhores políticos, administrador regional, ponham suas criatividades em funcionamento e proporcionem à juventude carente de apoio, caminhos mais nobres que  possam minimizar a proximidade das drogas tão presentes hoje, as bebedeiras e os conflitos como o que tivemos no último final de semana.
O funk é uma expressão cultural, mas não da forma que ultimamente temos visto aqui na cidade.








Um comentário:

  1. Complicado mesmo é o modo abusivo cujo a policia vem tratando as pessoas que ali frequentam.

    Concordo com o fato do modo abusivo que vem sendo explorado pelos jovens, mas ali na região também é frequentado por famílias que devem ser respeitadas e não tratadas como bandidas, sendo expulsas com bombas, tiros de borracha e força bruta exercida pelos policiais.

    Lamentável.

    ResponderExcluir