sexta-feira, 1 de junho de 2012

Documentário sobre a Revolução de 32; ótimo trabalho para pesquisa.

Achei interessante transcrever o documentário abaixo, tendo em vista a sua qualidade de produção e embasamento histórico.
A revolução de 32 é um fato histórico que mais me orgulha de ser Paulista.
Foi um "brado retumbante" de toda a população contra o Ditador Getúlio Vargas.
Alguns historiadores tendem à motivação do conflito, ao interesse dos industriais e latifundiários da época, que estariam na  contramão das políticas econômicas e industriais.
Mas pesquisando bem, os paulistas da época eram politizados e arraigados ao desenvolvimento. Viam as reais intenções do Ditador Getúlio Vargas, que mesmo após ao maior conflito armado que o Brasil presenciara, continuou arbitrariamente no poder do País.
Foram  pouco mais de 2 meses de conflito, mas que fizeram baixas relevantes. Por parte dos paulistas, tivemos mais de 900 baixas oficiais, mas estimativas remontam mais de 2.200 mortos. Da parte federada, jamais foram divulgadas suas baixas, mas também em estimativa, foram praticamente o dobro dos Constitucionalistas/Paulistas mortos.
Tivemos vários membros da nossa família nas frentes de batalha, mas o mais lembrado foi o meu tio avô e Capitão no conflito, Manoel dos Santos Sobrinho, que aos 28 anos foi ASSASSINADO em conjunto com os heróis combatentes Fernando de Camargo, Aristeu Valente, Jorge Jones, os três últimos do município de Americana, São Paulo. Pertenciam ao batalhão 23 de maio e em 18 de agosto de 1932, em patrulha na estrada que liga o município de Águas de Lindoia ao município de Socorro, depararam-se com tropas do exército, em número extremamente superior. Resistiram bravamente,  ocasionando várias baixas nos legalistas. Recusaram a se entregar e foram mortos no local. O corpo do meu tio foi encontrado em outro local, dias depois, totalmente perfurado a balas de fuzil e com o crânio esmagado, conforme o óbito, por coronhadas de fuzil.
O grupo que os ASSASSINOU era de uma tropa baiana do exército legalista.
Rancores a parte, pois a forma de como foram ASSASSINADOS será inesquecível, bem  como a ação do exército em São Paulo por ocasião do conflito, ASSASSINANDO civis sem a menor piedade e demonstrando o subdesenvolvimento e a carência de humanidade que naquela época, nossos representantes militares demonstravam. Foi assim em vários conflitos que o exército esteve presente. Pesquisem seriamente sobre a Guerra do Paraguai, sobre Canudos, sobre a Guerra do Contestado no Sul do Brasil e vejam como eram gloriosas as ações do Exército.
Assistam ao documentário que foi elaborado pelo programa "HISTÓRIA E LUGARES",  com apoio da TV Câmara de Jacareí - São Paulo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário