sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Eu tive uma EQM - experiência de quase morte -

Há quarenta anos atrás, sofri um acidente doméstico, que quase me passa definitivamente para outro plano.
Lembro-me que após um dia agitado, fui ao quintal da minha casa, onde havia uma barra, para exercícios físicos.
Pendurei-me nela e comecei a balançar meu corpo, quase fazendo um 180 graus. Naquele momento, escapei da barra e fui de cabeça, com a parte de trás do crânio, diretamente ao chão. A pancada foi violenta, pois cai de uma altura aproximada de 2 mts.
Lembro-me a princípio do baque seco e depois tudo, momentaneamente, se apagou.
Nesse apagamento, que durou cerca de 1 hora, me vi sair do corpo e vagar acima da minha casa. Voei pela rua lateral e fui viajando por todo o bairro.
Percebi que havia algo muito errado, pois a viagem era real e a minha visão e percepção era tão espetacular que na hora me veio um medo pavoroso.
Tive a consciência que deveria voltar ao local onde ficara o meu corpo.
Voltei até ele imediatamente, sem ter que voltar por onde havia passado, foi como um apaga aqui e aparece lá.
Bateu-me o desespero e de repente um rodamoinho colorido me envolveu. Eu naquele momento começara a fazer uma viagem regressiva, vendo cenas da minha vida, com detalhes espantosos; como se fosse um filme, mas real.
Via no fundo do rodamoinho uma luz forte, chegando lá em frações de segundos.
Haviam portas nas laterais e uma porta enorme que findava o canal por onde passara na viagem que fiz.
Dois guardiões vestidos com hábitos, estavam lá e conversaram comigo. Disseram que eu havia passado por um acidente e que seria hora de voltar. A minha sensação era tão boa que relutei em voltar. Me senti livre, sem medo e muito confiante.
Disseram-me para que eu voltasse e que eles me acompanhariam no retorno.
Percebi claramente que eu estava morto, mas que não havia chegado minha hora.
Eles se despediram de mim e em um estalo de tempo, senti uma forte dor na cabeça e sem saber o porque, estava gemendo muito.
Era o meu retorno ao corpo. Eu achei engraçado estar gemendo, pois estava livre segundos antes e de repente, voltava a uma realidade bem humana. Tentei me levantar mas não consegui a princípio. Estava em meio a uma poça de sangue, pois a queda que tive, além de abrir severamente o couro cabeludo, proporcionou um leve afundamento no crânio.
Apesar da gravidade, não conseguia de forma alguma esquecer aqueles momentos maravilhosos que tive.
Eu tinha 16 anos quando isto ocorreu.
Não sei se o que vivenciei é algo físico ou sobrenatural, mas se morrer é daquela forma, não devemos temer a nada.
A consciência transcende a morte!


Nenhum comentário:

Postar um comentário