quinta-feira, 13 de março de 2014

Quando o cidadão de bem andava armado, os criminosos tinham medo.



Quando o brasileiro comum tinha o direito de andar armado, a bandidagem ainda tinha medo.

O que ocorreu depois do desarmamento foi o crescimento das mortes em assaltos, abordagens de meliantes, etc. Mata-se por qualquer coisa e, normalmente quem morre em sua grande maioria, é o cidadão comum, como eu e você.
Tiraram a última forma de defesa extrema da vida, que o direito de defesa em caso de uma agressão criminosa.
Aqui em São Paulo, vemos todos os dias mortes ocorrerem do nada. Eles, os bandidos, chegam atirando para depois pilharem com calma os cadáveres.
Eu quero poder andar armado, quero poder me defender desses covardes e não ser morto como um porco.
Não pensem que é simples obter um porte de armas hoje. Talvez seja mais fácil ganhar um prêmio de loteria do que poder portar legalmente uma arma.
Eu sei o seguinte: eu já penso em portar armas, mesmo que clandestinamente. Prefiro amargar alguns dias na cadeia do que ser humilhado por bandidos, de ver amigos e entes serem mortos impiedosamente dia a dia.
Tenho o direito de andar armado, uma vez que o estado de coisas gerou a impunidade na ação criminosa da bandidagem.
Revejam urgente esse malfadado desarmamento, onde o cidadão de bem se despojou de suas armas em detrimento da bandidagem, que estão armados até os dentes.

Um comentário:

  1. Com certeza o direito andar armado é ter o direito de se defender, mas o cidadão tem que ter consciência de que a arma é letal numa primeira discussão puxa-la sabe que não tem volta.
    a década 80 e 90 tinha arma andava com ela para todos os lados tive caso discussão e até tentativa de agressão física, mas nunca puxei arma porque no momento que fizer isto alguém vai se machucar e outro na cadeia.

    ResponderExcluir