sábado, 12 de abril de 2014

Como e por que o Uruguai descriminalizou a maconha, oficializou o aborto e caminha para novas experiências.



Assisti a uma entrevista do Presidente José Mujica do Uruguai, como todas as outras, ricas em sabedoria e simplicidade.
Dentre vários assuntos, a descriminalização da maconha e a regularização do aborto foram talvez os principais.
O Presidente, preocupadíssimo com as ações do narcotráfico, o qual é responsável pelo crescimento da violência no País, entendeu que seria  mais fácil cadastrar os usuários da maconha, e fornecer a droga através das redes de farmácias, que já operam com produtos controlados, tais como opioides. 
Na visão do Presidente, afastar o narcotraficante do País garantirá a redução da violência urbana. Ele se disse terminantemente contrário ao consumo de drogas, contra o álcool, fumo e também contra o aborto.
Pasmem: a maconha será produzida e controlada pelos quartéis.
Com relação  ao aborto, o Presidente se mostrou preocupadíssimo em relação a saúde da mulher, da sua plena inserção social no que tange aos seus direitos, ao amparo do estado em suas vidas. Com a regulamentação do aborto, ele  - o presidente - buscou estar próximo dos problemas diversos que pudessem motivar um aborto. Mencionou que o estado participa hoje analisando os motivos, que em sua opinião variam desde situação econômica, familiar, etc. Um grupo profissional de apoio ampara a mulher, analisa suas motivações e em várias vezes, demovem-na do ato, pois em várias vezes as situações provocam o apoio,  o carinho e  a intervenção do estado, até mesmo  garantindo financeiramente a  mulher.
O Presidente, mostra-se como um líder preocupadíssimo com a pessoa e, como disse, o povo uruguaio é carente, pobre e necessita do apoio governamental.
Se aqui no Brasil  houvesse esse mesmo interesse pelas pessoas, estaríamos muito desenvolvidos socialmente, talvez, quase como um URUGUAI.


Nenhum comentário:

Postar um comentário