sábado, 5 de julho de 2014

Não suporto a arrogância dos pseudointelectuais.

A pior coisa que existe é conviver com pessoas arrogantes, que em nome da intelectualidade, se acham no direito de pensar estar colocado em um patamar superior ao da humanidade.
É o cara que tem uma resposta pronta para tudo, que ri de erros e odeia a convivência com pessoas, e quando convivem, tornam a convivência uma batalha mortal de autoafirmação e perpetuação do seu ego. 
Tem desses caras até em banheiro público, opinando a respeito do cheiro ou do som que um infortunado usuário produz, devido a uma dor de barriga incontrolável.
É o mesmo que em um bar, analisa pessoas, bebidas, copos e atitudes.
É o político que se coloca em uma posição de super star, com cabelos irretocáveis, sorriso enigmático de uma Mona Lisa.
É o psicanalista, que te cobra 100 pilas por seção, onde você fala a respeito das sombras das profundezas da alma, e ele com o ar de soberano não te dá respostas a nada, mas não perde aquela pose de Freud.
É uma merda, pois eles todos tentam criar um mundo onde todos nós somos meros expectadores, sem rosto e alma.
Não podemos simplesmente fazer vista grossa, fingindo que eles não existem, pois alguns deles conseguem ludibriar pessoas e atingirem posições que afetam toda uma sociedade.
A proposta é combater, desacreditando esses pseudointelectuais. 
Mostrar às gerações que o mundo é de descobertas e não de imposições. Que palavras fortes nem sempre são verdadeiras, e que intenções nem sempre são boas.
Desacreditar esse tipo de gente, é colocá-los à margem, sem que possam atingir seus objetivos seletivos e preconceituosos.
Esses, são vistos ao longo da história, como traidores, déspotas, tiranos, etc.
Os mega estelionatários, usam do artifício da envolvência, do farto conhecimento que não leva a nada, mas que encanta alguns espectadores. Gente carente que gosta de ouvir palavras e afirmações, sem jamais questioná-las.
Enfim, não suporte gente assim.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário